Dúvidas frequentes

1. É normal o médico demorar a falar com a família quando o paciente é internado?

Depende das intercorrências que podem se dar na UTI, que o médico precisa priorizar. Na UTI, a entrada e as rotinas são constantes, portanto, nem sempre o médico tem a disponibilidade de, logo após a internação do paciente, ir à família que realiza o questionamento.

2. Após a alta da UTI, o paciente pode ir direto para casa?

Normalmente, após a alta da UTI, o paciente é transferido para o quarto privativo ou a enfermaria – de acordo com os direitos e benefícios previstos pelo plano de saúde. Isso acontece porque, na maioria das vezes, o tratamento necessita de continuidade, mas o paciente já não precisa de cuidados intensivos.
Com menos frequência ocorre a alta hospitalar direto da UTI.

3. O refeitório pode ser usado pelos familiares?

O refeitório do CHN é de uso exclusivo dos funcionários. Alguns planos de saúde preveem refeições para o acompanhante legal do paciente – este as recebe no quarto, servido pelas copeiras do hospital. O CHN ainda dispõe de uma coffee shop localizada no térreo do hospital.

4. Por que as informações pelo telefone são tão restritas?

Pelo telefone só é permitido fornecer informações ao familiar designado previamente como representante do paciente. Essa medida visa, primeiramente, garantir o sigilo das informações e resguardar a privacidade dos pacientes, bem como otimizar o tempo das equipes técnicas para atenção integral ao enfermo. Porém, uma boa maneira de se manter informado a respeito de um paciente é comparecer ao Centro de Atendimento à Família (CAF). Lá, as atendentes disponibilizam, diariamente, um boletim para acompanhar o estado de saúde das pessoas internadas em UTI.

5. Pode haver revezamento de visitantes na UTI?

Sim. No horário de visita é permitido o revezamento de dois em dois visitantes, o que não pode é entrar todos ao mesmo tempo, pois, como o nome bem diz, essa unidade requer cuidados intensivos com o paciente. Dessa forma, a movimentação de muitas pessoas e os ruídos, além de alterarem a rotina do ambiente, poderiam colocar em risco a segurança e a eficácia do tratamento.

6. Posso transferir o paciente para outro hospital?

Primeiramente, o médico deverá avaliar as condições do paciente e os riscos para ele; caso a transferência seja autorizada por ele, também será necessária a aprovação do plano ou da seguradora de saúde.
É função do familiar ou responsável que deseja a transferência entrar em contato com seu convênio e manifestar seu desejo; a partir daí, o convênio entrará em contato com o CHN para providenciar a transferência.
O prazo para que seja realizada a transferência não pode ser estimado, uma vez que depende não só das condições do paciente, mas também da disponibilidade da unidade de saúde para a qual a família deseja levar o paciente.

7. Quais os pertences necessários para internação na maternidade?

Enxoval da mamãe

  • Três ou quatro camisolas com abotoamento na frente.
  • Uma cinta pós-parto.
  • Um sutiã de amamentação.
  • Um pacote de absorvente pós-parto.
  • Um kit de higiene pessoal.

Enxoval do bebê

  • Quatro cueiros.
  • Cinco mudas de roupa, por exemplo: conjuntos de pagão ou macacões.
  • Quatro pares de meias.
  • Três pares de luvas.
  • Uma escova com pente.
  • Uma manta.

8. Qual o horário de visita?

Nas enfermarias, as visitas são das 14h às 20h. Nos quartos privativos, ocorrem das 10h às 20h. Já nas Unidades de Tratamento Intensivo, o horário é das 12h às 18h.

Obs.: Os horários podem ser alterados por determinação das chefias das UTIs.
Para mais esclarecimentos, consulte o Centro de Atendimento à Família (CAF), pelos telefones (21) 2729-1122 e 2729-1004.

Nesses setores, é proibida a entrada de alimentos e roupas; somente é permitido trazer pertences de higiene pessoal, como sabonete, escova, pasta de dentes e xampu, entre outros itens do gênero.

Nas enfermarias, as visitas são das 14h às 20h. Nos quartos privativos, ocorrem das 10h às 20h.

9. Tenho direito a acompanhar meu familiar?

Nas Unidades de Tratamento Intensivo não é permitido acompanhante. Com exceção das UTIs Neonatal e Pediátrica, que contemplam a presença da mãe ou do pai.
No caso de quartos privativos e enfermarias, a presença do acompanhante está relacionada com a modalidade adquirida de seu plano ou de sua seguradora de saúde ou por direitos legais: acima de 60 anos ou abaixo de 18 anos.
Mas o Centro de Atendimento à Família (CAF) oferece atendimento das 8h às 19h aos visitantes, com informações atualizadas diariamente sobre o estado de saúde dos pacientes hospitalizados na UTI.

10. Vou ter neném nos próximos meses. Posso conhecer a maternidade antes de me internar?

A equipe do CHN tem muito orgulho em apresentar suas instalações e seus projetos de humanização na área materno-infantil às futuras mamães. Para isso, basta entrar em contato pelo telefone (21) 2729-8120 e agendar uma visita, de segunda a sexta-feira, das 9h às 17h

11. Quais são os convênios credenciados?

O CHN atende mais de 50 convênios para sua comodidade. Clique aqui e confira a relação.

12. O CHN realiza atendimento ambulatorial?

Sim. O atendimento ambulatorial é realizado na área de diagnóstico por imagem, com estudos de hemodinâmica, tomografia, ressonância magnética, colonoscopia e endoscopia, entre outros procedimentos oferecidos pelo hospital.

13. Eu gostaria de fazer parte da equipe do hospital. Para quem devo enviar meu currículo?

Cadastre seu currículo em nosso banco de talentos para participar de futuros processos seletivos. Envie um e-mail para rh@chniteroi.com.br mencionando, no assunto, a vaga que almeja e boa sorte!